8 de fev de 2017

Dente de Leão



Soprava lentamente a flor, observando cada pequena semente deslocando-se e ganhando o ar com seus "paraquedinhas". Não iriam pousar muito longe dali.

    Colheu mais algumas e saiu soprando novamente, desta vez com força, para ver até onde o impulso faria voar os pequenos pedaços até então unidos. Soprou até ficar tonta. Deitou no gramado e ficou vendo as pequenas sementes caindo aqui e ali.Estava quase na hora de almoçar, depois escola. 

  Ficou imaginando se todas as sementes brotassem, como o gramado ficaria. Deitou-se de bruços e ficou observando a fileira de formigas carregadeiras com seus pedacinhos de vegetais. Uma vez, ouvira falar que estas formigas não comiam as folhas, e sim que as estocavam no formigueiro e esperavam nascer um cogumelozinho para se alimentarem dele. Mas elas não morreriam de fome antes disso? Ouviu a voz da mãe chamando. Sobre as formigas não sabia, mas ela estava ficando com fome. 

    Enquanto almoçava, ficou pensando nos dentes de leão, nas formigas, em como seria legal se desse para diminuir de tamanho a ponto de entrar em formigueiros, colmeias e onde mais desse para poder ver como era a vida dos bichinhos. Ou conseguir uma lupa para ver se era mesmo verdade que dava para colocar fogo em pedaços de papel.

   Anos depois, quando a vida a havia afastado deste doce ócio diário, ela se viu passando pelo gramado novamente. Resolveu ficar com os pés descalços, e notou vários pezinhos de dente de leão. Seriam resultado das brincadeiras de soprar de anos atrás?  

Deitou-se no gramado e agora estava novamente com oito anos e soprava as flores, de novo ficava olhando para o céu e vendo-as flutuar. Novamente tinha dez anos e observou a caminhada ininterrupta das formigas. Desta vez, já sabia bem  como era a vida no interior dos formigueiros. E desta vez também tinha uma lupa. 


3 comentários:

  1. OI Mari
    Que ternura adorável! Como é bom ser criança não?
    Seus sonhos são tão espontâneos! E a vida seria tão mais leve se conservássemos essa doçura, essa leveza da alma de uma criança. Adorei o texto. Lindoooo
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que lindo e me vi contigo soprando as flores...Que lindas lembranças, doces... Adorei! bjs,chica

    ResponderExcluir
  3. Eu gostava tanto dessa flor.
    bjokas =)

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo