24 de jan de 2017

Resenha: O Que Os Olhos Não Vêem, de Ruth Rocha



Esta postagem é a primeira do Desafio Literário 2017 - Um livro escrito por mulher - respondendo ao convite da Sybylla, do blog Momentum Saga. 



Os governantes da nação não ouvem o clamor do povo, que se sente preterido e deixado à própria sorte; nunca são vistos nem ouvidos pelos que mandam e desmandam, pois estes simplesmente ignoram a existência deste povo a quem deveriam ajudar. 


A história parece familiar? Lembra alguma coisa sobre os tempos atuais?

Pois é, é nessa premissa que se baseia o livro O que os Olhos Não Veem, de Ruth Rocha.  


(...) Como foi que aconteceu?
Com tristeza do seu povo
nosso rei adoeceu.
De uma doença esquisita,
toda gente, muito aflita,
de repente percebeu...

Pessoas grandes e fortes
o rei enxergava bem.
Mas se fossem pequeninas, 
e se falassem baixinho,
o rei não via ninguém.(...) 



Escrito em 1981 em forma de versos, o livro conta a história de uma "estranha doença" que acomete as pessoas  que mandam e desmandam no reino.As pessoas que se destacam na população pela estatura física e por falarem alto são chamadas a viver no palácio servindo o rei, igualmente gigante. Assim que começam a viver neste palácio, não enxergam mais seus súditos que são baixos. Até o dia em que os oprimidos se unem em um plano eficiente para obrigar o rei a enxergá-los. 

Firmando-se no ditado popular "O que os olhos não veem o coração não sente", esta história mostra o que acontece quando os governantes não trabalham com e para o povo.

Ruth Rocha tocou em temas espinhosos como a ditadura  e o autoritarismo, sem sofrer censura, devido à sua habilidade de tratar destes temas de forma lúdica, em livros infantis. 
Ela consegue através de histórias aparentemente simples, despertar reflexão tanto em crianças quanto em adultos, não só com este livro, mas em vários outros como "O Reizinho Mandão", "O Rei que Não Sabia de Nada", "Dois Idiotas Sentados Cada Qual em seu Barril", e outros que marcaram minha (nossa ) infância de forma bem humorada. 



Outros livros escritos por mulheres: (valem muito a pena conferir) 

 - Diga Meu Nome e Eu Viverei, de Sybylla: Um livro abordando um apocalipse zumbi,acontecendo bem na grande cidade de São Paulo. O caos, a difícil adaptação à nova realidade e a constante busca pela sobrevivência do ponto de vista de Júlia, uma estudante que perdeu sua família e vaga pela cidade destruída enfrentando muitos desafios. 


- Desmortos, de Mary C. Müller ( já comentei sobre o livro nesta postagem aqui)



E muitos mais, que citarei ao longo do ano! 





Tenham todos uma ótima terça-feira e até mais! 























2 comentários:

  1. Eu já tentei participar de desafios, mas sou muito divergente ai nunca cumpro tudo, mas vi o desafio da Sybylla e gostei do que ela propôs. Aliás, também adorei sua resenha, a Ruth Rocha tem um jeito todo especial de não subestimar as crianças e acaba com isso escrevendo livros com potencial para virar clássicos.

    ResponderExcluir
  2. Ruth Rocha é uma referência em literatura infantil. A habilidade que ela possui para tratar de temas que parecem polêmicos à primeira vista com leveza e inteligência é ímpar, poucos conseguem - ainda mais para o público infantil. (e adultos também, pois seria muito válida essa leitura)

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo