14 de jul de 2015

Ode à chuva?




Venha sobre mim a chuva
Fria
Forte
Talvez ácida, corroendo o que ainda resta de mim
Ou quem sabe pura e limpa, lavando o que me atrapalha, removendo com a força da água as pedras de tropeço
Que grude minhas roupas a meu corpo
Bata com força em  minha face
Que me faça lembrar que existo
Que sinto dor,
Frio,
Ódio,
Mágoa
E que leve embora tudo isso
E que escorra pelo meu corpo esta chuva,
Levando o salgado das lágrimas até o chão
Luz, arrebata-me!
Fira meus olhos
Me leve daqui
Para Pasárgada, ou para qualquer lugar
Ou que meu ser apenas se dissolva e seja um com todo o cosmos. 

6 comentários:

  1. Nossa, Mari, que intensas as palavras! Um post simplesmente arrebatador, adorei!

    Que venham muitas chuvas como esta sobre todos nós todos os dias

    Valquíria Paula – Na Casa da tia Val

    ResponderExcluir
  2. Olá Mari,não gosto de chuva,sei que ela faz cá muita falta,mas,eu,pessoalmente,não gosto de chuva!! Muitos beijinhos,feliz resto de semana e até breve!!

    ResponderExcluir
  3. Fortes e lindas tuas palavras! Belo pedido à chuva! bjs, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  4. Quando eu tomo banho é esse o sentimento que tenho, desejo que a água leve tudo o que eu não desejo em mim... A nhaca do dia, só deixe o que for bom... Faz muito tempo que não tomo um banho de chuva, mas eles também tem esse pode... fazem com nos sintamos renovados!!!! Eu ao menos me sinto!

    ResponderExcluir
  5. É incrível a intensidade que esse texto transmite! Muito envolvente.
    Perfeito!
    Parabéns!
    BC Maoli

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo