13 de jan de 2014

Insanidades Instantâneas 5 - Prosódia vai ao Chiqueiro

Às vezes fico pensando nos nomes das coisas. Influências do Luís Fernando Veríssimo,ou do livro Marcelo, Martelo, Marmelo - embora eu não seja a favor do embrasamento da moradeira de nenhum latildo.

Mas sou meio que um Marcelo às avessas: não crio palavras novas, mas sim fico imaginando que as já existentes poderiam ter outros significados. Até hoje acho plausível a afirmação de Luís Fernando Veríssimo de que plúmbeo deveria ser o barulho de um corpo caindo na água.

Travesseiro,por exemplo, poderia ser muito bem um fabricante de traves. Chiqueiro, um ponto de encontro de pessoas chiques. E não me venham com a velha piadinha do oculista, se bem que sim, pensei nela agora mesmo.
Prosódia, por exemplo. Parece nome de remédio. Ou então, uma nova dupla sertaneja feminina: Paródia e Prosódia, com seu novo sucesso: Metalinguística Rolante.

E uma das minhas palavras preferidas: paralelepípedo. Não sei se é pela sonoridade, por parecer que se está mandando alguém parar de andar, ou sei lá. Mas é engraçado.
 
Vendo outros verbetes de nosso vernáculo,(vernáculo... fica parecendo um grande portal, para um paraíso lendário) fico imaginando outros significados para as palavras. Menos para fronha. Não consigo imaginar outro significado para isto, a palavra é tão...estranha.

Tá, também é difícil criar outro significado para esternoclidomastoideo, mas convenhamos que também seria demais.


10 comentários:

  1. Oi, Maria, adorei o post! Eu tenho o costume de desmembrar palavras e com elas repensar o significado, mas pensar em outros significados para a palavra completa nunca tentei... vou pensar nisso.
    Fronha é uma palavra muito estranha, hahaha. É ruim até de falar.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Marina.
    Bela devaneação; eu tenho o livro onde Veríssimo cita estas palavras que parecem ter um significado totalmente diferente, o Comédias da Vida Pública, que reúne crônicas dele de 68 a 95.
    Creio que, quando as palavras não são suficientes para descreverem aquilo que sentimos, não há mal algum em criarmos novas, mesmo que só tenham significado para nós mesmos.
    Abraço e feliz 2014, Marina.

    ResponderExcluir
  3. Eu que lido tanto com palavras, tal como você o faz, nunca cheguei a parar para analisá-las tão a fundo quanto você o fez!
    O post ficou leve e divertido, Marina. rs.
    A palavra fronha não me remete a nenhum significado, porém, lendo-a agora, tive a impressão de uma pessoa fanha pronunciando. Não me pergunte o porquê. rs.
    Abraço e bom dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece mesmo uma pessoa fanha pronunciando..taí..não tinha pensado nisso. rsrs. Bem-vindo de volta!

      Excluir
  4. Não tenho a mínima ideia da fronha... mas adorei! rsrsrs
    Nunca pensei a respeito disso, das palavras e seus possíveis significados.
    Taí um assunto que gostei!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mari!
    Nunca fiquei pensando em um outro significado para as palavras e achei a sua postagem um belo exercício. Fiquei pensando em várias palavras de significado estranho ou som estranho, como fronha, citada por você. Fronha tem som fanho :)
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  6. Oi Mari:
    Viajei no seu post, rsrsrsr.
    Minha filha é expert em criar novas palavras.
    Quando cometo alguma insanidade (o que aliás é bem normal acontecer comigo, rsrsrsr) ela diz que eu sou "desturbada" das ideias.
    AH! E quando quiser fazer uma viagem real, pode me chamar que eu embarco nessa com você, ok.
    Bjs.:
    Sil
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, querida Mari
    O Português tem cada uma interessante... é um dos idiomas mais difíceis do mundo e com palavras tão complicadas e sem sentido... grandes demais e outros...
    Poderia ser tudo muito mais simples...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  8. Adorei o Metalinguística Rolante

    Vou te recomendar algo que vc vai adorar, leia Alberto Caeiro!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Nuti, Alberto Caeiro é um dos heterônimos de Fernando Pessoa, não? Fascinante como um escritor criou outros "personagens", cada um com um estilo. Boa semana!

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo