18 de jun de 2013

Palavras malditas




As palavras que tenho hoje
A caneta não quer escrever
O lápis se recusa a fazer
O papel não aceita.
Pego novamente a caneta, 
O papel se esquiva
O lápis quebra
A caneta rola e some de minha vista
O papel rasga
O que pode ter de tão ruim 
No desejo de escrever essas palavras?
Por que hoje elas ficam presas?
Por que nem o papel, que tudo aceita, 
Quer ser ninho destas palavras malditas?
Que terríveis sementes podem surgir 
Destas palavras ao qual o abrigo é negado?
Que consequências poderão ter 
Estas palavras que ninguém quer?
 Por que não podem sair? 


6 comentários:

  1. COISA LINDA Marina!
    Isto é ESCREVER sobre não escrever;-)

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  2. Nossa, isso faz parte do cotidiano de muitos nós, escritores e blogueiros. Acho que tem dias que simplesmente queremos o silêncio, ou ser navegantes nas palavras alheias. rs

    <3

    Gostei muito!

    ResponderExcluir
  3. São angústias que nos tomam, nos emudecem pela letra, insubordinam os instrumentos e criam um vazio silencioso, que quero crer, será prenúncio de belos jardins salpicados de muitas palavras.
    Que as questões se acalmem.
    Bjo, Mari.
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Calu, que comentário poético!

      Excluir
  4. Nossa que lindo!!!...
    Conheci seu blog através da homenagem no blog da Silvana e amei!!!
    Bjus

    http://blogluminoso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Amei o post, super legal seu blog!
    Beijos =]
    Visitem: http://blogdafrancoise.com

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo