1 de nov de 2012

A Volta de Quem Não Foi



"Levava uma sacola". 
-E o que tinha na sacola? Recordações? Objetos de trabalho? Um Chiuahua? Uma faca?
-Ah, não acredito, você de novo! Eu já não tinha dado um destino a você?
- Justamente, você disse - melhor, escreveu - que sou dono do meu destino. 
- E por isso você achou que seu destino era voltar para cá!
- Justamente. 
- E posso saber por que?
- Resolvi ser o paladino dos personagens de ficção. Não quero que sua mente doentia crie mais personagens apenas para depois jogá-los em situações constrangedoras e indefinidas.
- Bem, enquanto você me atrapalha, não posso continuar a história. Então, a indefinição do pobre personagem recém-criado que levava uma sacola, lá na primeira frase, é culpa sua! 
- Você me criou. A culpa é sua. 
- Então, por favor para de me atormentar!
- Eu faço parte de você, lembra? Eu sou você. Você está se auto-atormentando.Na verdade você não sabe como continuar o conto que começou, não definiu a importância da sacola na vida da personagem e por isso me tirou da manga para criar uma situação que te desviasse da história que começou. 
- E se eu te disser que o objetivo era esse mesmo? Que a frase inicial era apenas pretexto, e que estou me servindo de você novamente?
- Mas não é justo! Eu sou dono do meu destino, você escreveu isso!
- Exatamente. EU escrevi assim. 
Imagem tirada daqui
- Ei, vocês dois aí! 
- Quem é?
- Quem foi?
- Eu. A personagem com a sacola. 
- Deixa eu adivinhar, você quer um final. 
- Quero. 
- Dá um final para ele! 
- Para ele voltar mais tarde e eu ficar com duas vozes na cabeça? 
-Vamos fundar um movimento! PAF - Personagens Abandonados da Ficção. 
- Eu é que vou fazer um PAF em vocês! Personagem da sacola, você vai ter seu final:
" Levava uma sacola. Dentro, a feira do dia, uma suculenta melancia. A sacola arrebentou, a melancia que estava dentro saiu rolando e até hoje continua rolando, com seu dono correndo atrás dela"
- Mas... o que foi isso??? 
- Raiva! E um pouco de sadismo. O conto é meu e acabei com ele. 
- Ai, ai... agora fiquei com medo. Você vai me matar? 
- Deveria fazer a melancia cair em cima de você!!! Mas não. Vou te deixar assim. Assim como está. 
- Mas hein?
- Posso precisar de você. Afinal, não há seriedade sem um pouco de loucura. Agora se manda antes que eu mude de ideia.... 

4 comentários:

  1. "Devaneios e desvarios e, "o destino (?
    Fiquei confusa com os(as) personagens abandonados da ficção e "sadismo.
    # desatinada! tenho q reler, acho q não captei a mensagem da crônica... Demais pra mim!
    Volto rs
    Não me leve a mal, demoro "sou lenta.
    beijinho e que tenha um bom feriado ......*

    ResponderExcluir
  2. Mesmo que acreditemos que tenhamos poder sobre os personagens que criamos, eles sempre acabam entregando um pouco do que somos. Escrever é se expor, por mais imparcial que se tente ser.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  3. Muito bom. Os personagens sempre fazem parte da gente, e no fundo, eles muitas vezes conduzem-se sozinhos, nós só colocamos em palavras aquilo que acontece. Gostei da metalinguagem do texto, achei a ideia bem legal =)

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Adorei essa ficção na ficção. E é fato de que até nós nos perdemos nos personagens que criamos e também nele achamos uma coerência para nossa imaginação, afinal eles ganham vida e cobram seus direitos rsrsrsrs
    bjks doces e boa semana

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo