13 de jul de 2012

Várias Facetas, Várias Vidas - 4ª Parte (II)



 VICTOR
 
A plateia grita, pula, canta junto. Eu arrasei também, sei disso! Toco um último riff de guitarra, a bateria conclui o show. O público vai ao delírio! 
Estou cansado, porém feliz.

Hora de desarmarmos o circo, grito para Eric. “Ok”, ouço de volta. Graaande cara. 

Nossa van se coloca em movimento. Vou tocando a guita, usando os fones de ouvido. Eric sorri,exultante. Vander parece um pouco sério. O sol está surgindo, e vejo algo vermelho. Sangue?
Um barulho horrível, gritos e gemidos. Cheiro de carne queimando.
Dor, gente chorando. Um trecho de música... me sinto caindo... estendo a mão,pedindo ajuda, e paro antes do grito, pois não a encontro.

Suor. 
De novo esse maldito pesadelo! Mais uma manhã em que acordo revivendo a dor daquele dia.
Nem pude me despedir de Eric... meu grande irmão, camarada. Vander veio me visitar ainda no hospital, em uma cadeira de rodas.
Sinto dor nos dedos que não existem mais. E de novo, como todas as manhãs,lágrimas rolam pela minha face marcada pelas cicatrizes. A guitarra, por ironia, está intacta. Mas não posso reviver o tempo áureo da minha vida, tendo apenas uma das mãos.
Hoje a dor é maior que qualquer outro dia. E hoje vou vivê-la sem beber, sem tentar diluí-la. Hoje fazem exatamente cinco anos que perdi minha vida e faria de tudo.. tudo para tê-la de volta. 
(Continua...)

6 comentários:

  1. Adorei os primeiros parágrafos, nada melhor do que er coisas assim no dia mundial do rock . ''Hoje a dor é maior que qualquer outro dia. E hoje vou vivê-la sem beber, sem tentar diluí-la. Hoje fazem exatamente cinco anos que perdi minha vida e faria de tudo.. tudo para tê-la de volta. '' , amei este trecho, perfeito.

    Beijão, www.spiderwebs.com.br s2

    ResponderExcluir
  2. Olá Mari,
    Como guitarrista amador fico imaginando a tortura mental que acontece diariamente no músico que não pode mais tocar seu instrumento de ofício.
    Belo texto!

    Obs: Enfim chegaram as férias tão desejadas e aproveito para avisar que ficarei afastado da blogosfera durante este
    período. Pois moro onde todos os familiares passam as férias. Um grande abraço, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
  3. Olá, gostei tanto do que li, que acabei lendo todas as partes desse conto e aguardo com ansiedade a continuidade, meus parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Caraca... Este episódio foi forte Mari.
    A pior coisa é estar condenado em vida, seria melhor se ele tivesse morrido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou confessar uma coisa... o personagem tem uma história triste, que somente agora veio à tona... eu mesma cheguei a ter vontade de chorar enquanto escrevia.Ainda estou pensando em como tudo vai terminar, tenho duas ideias em mente para este personagem (e os outros também)... a história ainda não tem fim definido.

      Excluir
  5. Olá, Marina.
    Excelente texto, forte, pungente e direto ao ponto, parabéns.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo