1 de jun de 2012

Várias Facetas, Várias Vidas - 3ª Parte (II)


VICTOR


Mais um dia chega, o sol invade o quarto (droga, deixei a janela aberta), sinto o calor em minhas costas. Eu não quero acordar, ontem fiquei em uma festa até tarde.. mas esse brilho do sol me obriga a levantar cedo, pela primeira vez em anos.

Ontem terminei a noite em um apartamento estranho, não lembro direito o rosto da moça.. foi uma aventura casual. Não sinto saudades, não sinto vontade de procurar o rosto dela no meio da multidão da cidade.
Sei que muitas que saíram comigo, foi por pena, ou por estarem tão loucas depois da balada como eu costumo ficar.
Esta ressaca de hoje está diferente... não costumo sentir arrependimento, nem dor, nada. Simplesmente levanto e vou conquistar alguns reais para poder sair de novo à noite. Mas hoje acordei com a consciência doendo. Lampejos da pessoa que já fui. A manhã de setembro, cuja lembrança me esforço tanto para afogar em álcool durante a noite, agora está forte e límpida em minha mente, trazendo de volta a dor, vívida como se tudo estivesse acontecendo de novo. 
 Hoje não tenho vontade de dar o tradicional tapa no baseado. Estou pensando se vou tomar café da manhã, e se ainda tenho alguma camiseta limpa no que chamo de armário.
Preciso de algo mais forte para tentar esquecer. Ou será que já é hora de encarar a realidade de vez? Estou ficando cansado... Faz cinco anos que tento renegar o que fui, que tento tapar as feridas, criar um mundo próprio.
A dor hoje parece mais forte, ressurgindo das profundezas do ego, suplantando a barreira do álcool e das baladas. 
E pela primeira vez, não tento fugir. Revivo as cenas daquela manhã de setembro mais uma vez, sem entorpecimento. Até a ressaca já foi embora.  Acho que pela primeira vez em cinco anos estou acordado de verdade. 


 

13 comentários:

  1. Oi querida,

    Tudo bem? Essa sensação não é de ressaca, mas da passagem do tempo perdido e da dor de olhar para trás e ver o que não se findou para valer.

    Lindo texto!

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor ainda terá um longo caminho para voltar à vida, mas espero conseguir um bom final para ele.
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Nossa... eu amei o conto... li desde o inicio... fui lá atrás pra ler e confesso que estou gostando muito... =D
    Obrigada pelo lindo comentário... e sua visita, que pra mim é muito importante, voltando aos pouquinhooos... mas voltei!! Bjks

    ResponderExcluir
  3. Ola Marina,

    Quando caímos em si e percebemos o tempo que perdemos, que podíamos ter feito a diferença e não fizemos, realmente ficamos muito frustrados!

    Contudo, o estilo de vida do Victor não favorece, vamos seguir a leitura para saber o que acontecerá mais a frente!

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
  4. Mari, tudo bem?
    Adorei teu comentário por lá, obrigada!

    Quanto ao teu texto, muito bom, muito bem narrado! De caráter intimista refletiu, em minha opinião, um qualquer vazio do personagem e deu para se enxergar um pouco nesse sentimento. Você conseguiu transpor o leitor ao texto, eu pelo menos me senti ali junto.
    Parabéns!

    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  5. Uma hora seu personagem tinha que cair na real.
    Ainda quero saber o que tanto fere ele, o que o fez ficar durante longos 5 anos fugindo através das drogas.
    Um texto muito bom e uma narrativa rápida e direta. Adorei e espero que esse lampejo de realidade e reflexão traga o personagem de volta a vida.
    Beijokas doces e um bom fim de semana pra vc.

    ResponderExcluir
  6. '' Todo dia é tempo de acordar pra vida...e morrer um pouquinho a cada noite!'' Lembrei dessa frase , lendo seu maravilhoso texto. Muito belo! Sem mais. Adorei .www.spiderwebs.tk

    ResponderExcluir
  7. Acho que todos os dias nos últimos anos eu tenho acordado desta forma...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, J.Bruno! Espero que estejas se referindo ao vazio ou às indagações, ao cansaço..me assustastes agora, rs.

      Excluir
  8. Olá Devaneios!

    Parabéns pelo texto!
    Poxa, livrar-se das amarras, dos medos...e recomeçar a viver é preciso e fazer tudo de maneira diferente é o ideal.

    ResponderExcluir
  9. Olá, bom dia!
    Vim lhe visitar e, além de saber das novidades, lhe desejar um ótimo domingo e uma semana proveitosa, plena de realizações, com muita paz, alegria e felicidade.

    ResponderExcluir
  10. Caramba, Victor demorou tantão para acordar! Recomeçar é sempre necessário...

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  11. "Ainda somos todos tão jovens..."

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo