11 de mai de 2012

Várias Facetas, Várias Vidas - 2ª Parte (III)

SUZANA

Todo dia é a mesma vida.
Acordo à mesma hora, tomo o café da manhã sempre do mesmo jeito, vou ao trabalho com minha bicicleta sempre pelo mesmo caminho, almoço no mesmo lugar, volto ao trabalho e escuto as mesmas broncas e piadas há anos.
Vou para casa, janto, televisão, jornal, computador com os fones de ouvido,café, dormir para acordar no dia seguinte com a sensação de estar revivendo o dia anterior.
Eu sei, estou estagnada. E se escrevo desta forma monótona, é porque minha vida está assim. 
Estou pensando em largar aquele grupo de jovens, as baladas não tem mais graça... não tenho mais idade para virar a noite, embora não tenha nem trinta anos ainda. E, definitivamente, o "ficar" nas "baladas" não tem mais nada a ver comigo. 
Festas e inconsequência não me preenchem mais.Curto as festas, porém não posso viver de novo a adolescência. 
Estou aqui de novo ouvindo música em frente ao computador, com os fones de ouvido, teclando com alguma pessoa qualquer que me encontrou em uma dessas redes sociais. Uma de minhas válvulas de escape.. Como eu faço para minha vida ter graça de novo? 
Será que chuto o balde no emprego? Mas ele me sustenta, e bem. 
Tento um relacionamento sério? Mas me sinto tão sem graça... 
Preciso fazer algo, para afastar o gosto amargo daquela manhã de setembro.. mas o que?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo