Cinco minutos


(escrito em 1997)

É nessas tardes cinzentas que minha melancolia atinge seu ponto máximo. Outono. Uma leve e quase fria brisa, o rádio despejando música, o barulho de marteladas ao longe. Uma tarde comum de segunda-feira. Tarefas domésticas me aguardam, deveres escolares também. Mas sou capaz apenas de ficar no chão da sala, olhando para ponto nenhum. Aí, lembro de uma coisa legal para fazer e abandono meu caderno e essas palavras amargas que não me levariam a nada, mesmo!

Comentários

  1. Nossa! Quantas saudades de quando fazia o mesmo! Isso me faz lembrar que ainda posso fazer...

    Com tantos afazeres ao seu redor, nada melhor do que não fazer nada!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas