11 de jan de 2012

Aborrecimentos Telefônicos - 1ª Parte.

(Esta história continua! veja a segunda e a terceira partes)



Imagem retirada do blog Kiwi Nuclear
Se tem uma coisa que irrita, e muito, é o fato de receber ligações de empresas tentando nos empurrar cartões de crédito. Sério: a gente vê aquele número, já nem atende. Bendito seja o inventor do Bina! (Aliás, sabia que o inventor do bina foi um  brasileiro?)

Mas, o que irrita é que,  mesmo você não atendendo, a tal companhia passa o dia todo ligando, o telefone toca várias vezes. É a empresa tentando estabelecer contato. 
Enfim, a gente atende  e diz que o dono da linha telefônica não se encontra. 
E continuam ligando.

Chega a hora em que a gente, por um deslize ou para ver se enchem menos a paciência, acaba atendendo, para ver de vez que raios é aquele número desconhecido tentando ligar a toda hora: 
 - Alô.
- Alô, eu falo com dona a senhora Fulana de tal?
- Sim.
- Seu número de celular é bláblábláblá?
- Sim
-E seu endereço é tal? 

( Que saco, por que gente que eu nunca vi na vida sabe meu endereço, a cidade em que moro, sabem meu cpf, identidade... qualquer dia que atender de novo um desses telefonistas, quero pedir se ele ou ela sabe a cor da calcinha que eu estou usando!)
- (Respirando fundo)  Sim. 
- Nós somos da Companhia de Seguros Fazendo Você Perder Seu Tempo, e gostaríamos de estar oferecendo o cartão super ultra mega blaster plus hiper card, aceito em todas as lojas do país, em viagens internacionais e interplanetárias. Se a senhora confirmar seus dados e seu desejo de possuir o cartão, estaremos enviando pelo correio ainda essa semana, senhora. 
- Não quero um cartão de crédito.
- Olha, esse cartão é aceito na maioria das lojas, e é bem mais prático hoje em dia possuir um cartão de crédito, para bláblá..
- Eu moro em uma cidade pequena, aqui poucos estabelecimentos aceitam cartão. E não tenho desejo de possuir um. 
- Ah, mas esse cartão tem várias vantagens... blábláblá, mandaremos pelo correio para seu endereço, a senhora confirma? Rua tal, número tal..
- Eu não uso e não tenho intenção de usar cartão de crédito. 
- Da mesma forma, estaremos enviando, assim que receber é só desbloquear. Irei passar para o setor de Implicância Gratuita, para a senhora confirmar seus dados. 

ARGH!  Esse povo não sabe mesmo o que significa a palavra NÃO.

 O que eu realmente faço: 
Desligo o telefone.  O saco é que ainda tentam ligar de novo, mas uma hora terão de procurar outra coisa para fazer e deixar meu celular em paz. 

O que eu tenho vontade de dizer:

- "Querida, eu sei que é seu trabalho, que a vida de atendente de telemarketing é dura, que vocês precisam vender, mas eu infelizmente não vou poder ajudar você a aumentar sua comissão por vendas adquirindo algo que eu não utilizo. Tenho certeza de que neste vasto país de mais de 190 milhões de habitantes haverá alguém que fará bom uso do tal cartão de crédito que você quer me oferecer. Agora, dá para me deixar em paz que eu estou esperando ligações realmente importantes para mim? "

O que seria legal:

Ter uma mensagem gravada, que seria acionada pelo telefone ao identificar um desses números de televendas. Poderia ser algo assim:

"Você ligou para o número XXX- XXXX-XXXX. Se for da família, digite 1; Se for cobrador, não estou. Se for devedor, o número da minha conta é xxxxx-xxxxx. Se for de companhia de cartão de créditos, seguros ou o escambau, desligue o telefone e NÃO LIGUE MAIS! O dia que eu quiser um cartão, ou seja lá o que for, EU MESMA LIGO  ou procuro uma seguradora.

Ou poderia ser algo mais agressivo: " Você ligou para uma pessoa mal-humorada. Para ir à m.... digite 1; para sumir do mapa, digite 2; para ir à pqp, digite 3"....

Ah, vai, seria divertido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo