17 de nov de 2011

Não vou escrever agora.


Sentada na frente do monitor. 
De novo. 
Alguém escreveu que hoje é o dia da criatividade... então ela fez o mesmo que seres humanos fazem: tiram folga em seu dia. 
Lembrei de um escritor, que certa vez disse: " Todo mundo tem um dia em que, não sabendo sobre o que escrever, fala da falta do que escrever". Ou, algo do gênero, sei lá. 

Enfim... há tantos assuntos, desde as subcelebridades que acham que basta emplacar um rostinho bonito e corpo malhado e comprado para fazer sucesso, até a dissecação das ideias de Stephen Hawking, mas há dias em que nada parece favorecer a quem quer escrever algo. 

Poderia falar da rebimboca da parafuseta, do buraco na camada de ozônio, da vulgaridade da programação da tv, do labirinto de possibilidades e da floresta de páginas da internet, ou do cheiro da estrada depois da chuva, ou do tempo que está maluco por aqui. Até poderia falar das infinitas doideiras mentais que surgem em milésimos de segundo ao ver um voo de borboleta ou uma mancha na calçada. 

Ou seja, criatividade eu até que tenho . E falta de noção, muito mais.

Agora mesmo eu poderia criar vários versinhos de pé quebrado, ou sem pé nem cabeça, ou sem mais nenhuma metáfora, catacrese ou cacófato que já estão saturando o texto a esta altura dos parágrafos. 
Também poderia criar uma crônica sobre qualquer coisa, ou puxar uma imagem daqui dos meus arquivos, ou analisar uma música.. 
Vontade eu tenho. 
Mas o que mais tenho, no momento, é um cansaço enorme. 
Coisas a fazer, tempo passando e eu ainda aqui. 
Vou respirar, dar uma volta, caminhar, sei lá. 
Mas, para felicidade ou desespero total da nação, digo ao povo: Eu volto! 
Boa sexta-feira para todos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devaneie você também!

Babel

O que você procura?

Quer receber estes devaneios em seu e-mail?

Devaneios em Vídeo